sexta-feira, 13 de junho de 2014

O que gera violência nas manifestações populares?

     













É notório que os direitos dos brasileiros vem sendo violados a muito tempo,e chega um momento que é preciso se manifestar para que sejam protegidos estes direitos,mas toda essa reivindicação pode ser feita de maneira mais inteligente.


Dentre as formas de manifestações positivas sem precisar do uso da força estão: saber votar ,os brasileiros ainda votam em gratidão as benesses alcançadas,outro seria a formação de movimentos inteligentes que usariam a palavra e não a força para defender uma idéia e por ultimo o diálogo intersetorial,onde os protagonistas se sentariam para articularem juntos as melhorias,isto é democracia.


Sabe-se que o voto ainda é uma moeda de troca fortíssima , as maiores vítimas da manipulação de políticos de ocasião são as populações que sofrem alguma violação de direito e que se sentem vulneráveis por isto. Neste momento de medo,incerteza e fome é que surge o político que compra o voto destes e cria algum programa paliativo que apenas irá prorrogar o sofrimento.Por isso não adianta fazer quebradeira , é preciso saber escolher quem faz as leis,movimentos que tapam os rostos dão a conotação de outra coisa ,menos de movimento que quer conseguir as coisas com democracia.


Além disso a falta de movimentos sociais inteligentes compostos por jovens tem se tornado escasso,quantos jovens de fato entendem como é preciso se fortalecer como grupo para receber o respeito da sociedade, para depois ser ouvido.Gritos e violência não resolvem nada,causam apenas medo,e não têm o respeito da sociedade.


Por isto ainda a melhor proposta é a relação intersetorial.O que é isso? É a capacidade que os manifestantes deveriam ter para sentar numa mesa redonda e junto com os representantes dos governos, apresentarem propostas e ouvirem um ao outro.Isto tem funcionado muito bem em situações em que a demanda é comum a vários seguimentos da sociedade e eles precisam se sentar para buscarem uma solução comum,não é fácil. É preciso ter uma paciência histórica para conseguir algum resultado.


Diante disto,não se constrói uma sociedade abençoando a violência,pois quando pensamos numa sociedade que não precisa de instituições para gerenciar o caos,estamos pensando numa sociedade que será aniquilada em breve,dependemos de poderes institucionalizados para que a sociedade sobreviva.








Gilberto Penha de Andrade

Nenhum comentário:

Para onde iremos nós?

Não  há  como fugir da realidade de que o Brasil,verdadeiramente está sem rumo,fadado a um colapso social e econômico, isso d...